Nuno Nodin Instituto universitário de ciência Psicológicas, social e da Vida. Unidade de pergunta em mentalidade e Saúde. Lisboa, Portugal. E-mail: nunonodin
netcabo.pt Alex Carballo-Diéguez Columbia University. Department of Psychiatry. Novo York, flor States of America. Novo York State Psychiatric Institute. HIV center for Clinical e Behavioral Studies. Novo York, unido States that America. E-mail: ac72
columbia.edu Isabel Pereira leal Instituto universidade de ciências Psicológicas, sociais e da Vida. Unidade de investigação em mentalidade e Saúde. Departamento de mentalidade Clínica e da Saúde. Lisboa, Portugal. E-mail: ileal

Pretendeu-se alcançar a inspeção realizada pesquisar e comparada padrões de testagem em relação vir VIH; resultado do verifica para ministérios VIH; e açao sexuais preventivos de homens homo, hetero e bissexuais. Os dados foram recolhidos por de um questionário on-line. A amostra foi constituída pela 732 participantes com idade médio de 32,2 anos, dos quais 53,7% identificaram-se como homossexual/gay; 27,4%, como heterossexual; e 18,3%, como bissexual, refletindo der divulgação privilegiada são de estudo junto a organizações de lésbicas, gays, bissexuais e transgênero (LGBT). Nunca tinham desempenhada o prova para o VIH 26,6% no participantes; 7,2% indicaram estar portadores são de HIV. Cara gays apresentaram nível significativamente acrescido elevados de testagem para ministérios VIH e de soropositividade, no decorrer comparados com os restantes. No decorrer geral, verificou-se ainda que homens gays indicaram ter adicionando comportamentos preventivos. Todos os grupos estudados apresentaram padrão comportamentais específicos e diferenciados em relação ao VIH. Conclui-se eu imploro seu perdão são de grande importância intervenções comportamentais desenhadas à medida a partir de necessidades dos diferente grupos estudados, em particular junto ~ por homens heterossexuais e gays.

Você está assistindo: Qual o significado do risco na sobrancelha

Homens; VIH; Prevenção; orientação Sexual; Portugal


The function of this estude was come analyse e compare gay, heterosexual and bisexual men"s HIV experimentation patterns, HIV test results, and sexual preventive behaviours. Data were built up through an conectados survey. Ns study"s sample consisted of 732 participants quem met a selection criteria. Average agir of participants was 32.2 years; 53.7% self-identified together gay, 27.4% as heterosexual, e 18.3% as bisexual. This circulation reflects ns fact the the pesquisar was mostly publicized using LGBT networks. A rude of 26.6% had actually never tested porque o HIV; 7.2% claimed they to be HIV-positive. Feliz men had significantly higher levels the HIV testing and also rates of HIV epidemic when contrasted with the other groups. Overall, feliz men displayed a larger variety of avoidance strategies. Tudo de the groups under aprender showed specific e differentiated behavioural profiles com regard come HIV. We conclude that an ext efficient e tailored projects need to be emerged to deal with each group"s certain HIV prevention needs, in privado heterosexual e gay men"s.

Men; HIV; Prevention; sexo Orientation; Portugal


recomendação

Apesar de múltiplo esforços durante sentido de travar eficazmente naquela infeção pelo VIH, até hoje tal mas não obtivermos possível. Intervenções comportamentais, naquela par a partir de desenvolvimento de itens biomédicos preventivos como microbicidas alternativa profilaxia pré-exposição (Nodin et al., 2008NODIN, N. Et al. Knowledge and acceptability of alternate HIV prevention bio-medical products among MSM quem bareback. Equipamento auxiliar Care, London, v. 20, n. 1, p. 106-115, 2008.), continuam a ser as melhores estratégia na tentativas de ao controle da transferir do vírus pela via sexual. 1 das apresentou essenciais são de VIH, que comprometer-se dele sujeito preferencial de aprender e interferir por ajudando das ciência sociais, é o verdade de estar uma infeção cujo agencia se transmite e previne pela de um coeficiente comum: o grão (Coates; Richter; Caceres, 2008COATES, T. J.; RICHTER, L.; CACERES, C. Behavioural strategies to reduce HIV transmission: how to make them occupational better. Ns Lancet, London, v. 372, n. 9639, p. 669-684, 2008.). Dentro âmbito, a cobrar de prevenção do VIH levou a que se procurasse são definidos fatores de risco comportamental em muito de níveis.

Esse processo surgiu depois de ~ uma fase inicial da epidemia em eu imploro seu perdão ocorreu der estigmatização e naquela culpabilização de infetados, levando à criação da ideas de "grupos de risco", conceito cujo colisão se mantido de formas diversificado (Herek; Widaman; Capitanio, 2005HEREK, G.; WIDAMAN, F.; CAPITANIO, P. When sex amounts to AIDS: symbolic stigma and heterosexual adults" inaccurate ideas about sexualmente transmission of AIDS. Sociedade Problems, Berkeley, v. 52, n. 1, p. 15-37, 2005.). Ns das consequências desse fenómeno obtivermos que indivíduos que não se considerassem gostar de pertencentes ~ por referidos grupos, em particular homens heterossexuais, se percepcionassem como imunes à doença, não tomando together devidas precauções para prevenção o infecção (Vieira et al., 2000VIEIRA, E. M. Et al. Alguns aspectos do açao sexual e practice de sexo seguro em homens do Município de elas Paulo. Cadernos de saúde Pública, fluxo de Janeiro, v. 16, n. 4, p. 997-1009, 2000.). Esse processo tornou aparente um coeficiente pertinente na começar e manutenção de comportamento de risco: a percepção de vulnerabilidade.

Largamente educado no faixa do modelo de crenças de saúde (Rosenstock; Strecher; Becker, 1988ROSENSTOCK, I.; STRECHER, V.; BECKER, M. Social learning theory and the health id model. Health education and learning Quarterly, thousands Oaks, v. 15, n. 2, p. 175-183, 1988.) e da ensinar da motivação protetora (Rogers, 1983ROGERS, R. W. Cognitive e physiological processes in fear appeals e attitude change: a revised theory of defense motivation. In: CACIOPPO, J.; PETTY, R. Sociedade psychology: a source book. Novo York: Guilford, 1983. P. 153-176.), a percepção de vulnerabilidade cabe de ligação entrou atitudes e comportamentos, aumentando o potenciais preditivo dessa associação. Aplicada vir VIH, a vulnerabilidade percepcionada face à possibilidade da aparecer da infeção, conjugada abranger fatores como a avaliação da severidade da mesma ou a eficaz percepcionada do atos protetor - através exemplo, alavancada o preservativo -, podem destino o comportamento do indivíduo, colocando-o ou não em maior ameaça de contrair o vírus (Tsasis; Nirupama, 2008TSASIS, P.; NIRUPAMA, N. Vulnerability and risk tardy in ns management of HIV/AIDS: público priorities in a global pandemic. Threat Management and Healthcare Policy, Macclesfield, v. 1, p. 7-14, nov. 2008.). Avançar no curar do VIH trouxeram demasiado novos desafios ~ por nível da atraso de vulnerabilidade em relação à infecção, por exemplo, por parte de individual VIH positivos quem níveis "indetectáveis" de vírus enquanto sangue podem levar a comportamento menos seguros (Joseph et al., 2010JOSEPH, H. A. Et al. Beliefs around transmission risk e vulnerability, treatment adherence, e sexual risk habits among a sample that HIV-positive men quem have sex com men. Auxilia Care, London, v. 22, n. 1, p. 29-39, 2010.)

Outro conceito complementar na entendimento dos comportamento problemáticos em relação ao VIH, e íntimo relacionado alcançar a atraso de vulnerabilidade, denominada a atraso de risco. A dimensão do risco prende-se à medida que o individualmente considera-se susceptível de perder o que que entende gostar de valioso (Reber; Allen; Reber, 2009REBER, A. S.; ALLEN, R.; REBER, E. S. Ns Penguin dicionário of psychology. London: Penguin Books, 2009.). Dessa forma, o ameaça percepcionado poderá estar definido como a reconhecimento que o indivíduo faz face à possibilidade de por em causa a seus saúde pela do epidemia pelo VIH. Existir indicadores de eu imploro seu perdão indivíduos abranger baixa atraso de ameaça apresentam comportamento de ameaça significativos (MacKellar et al., 2007). Algum autores estudaram também a dimensão social e culturalmente configurado e, logo, mudar da atraso de ameaça (Bailey; Hutter, 2006BAILEY, A.; HUTTER, I. Culturais heuristics in hazard assessment the HIV/AIDS. Culture, health and wellness & Sexuality, London, v. 8, n. 5, p. 465-477, 2006.), evidenciando portanto a cobrar de um olhar contextualizado dos conceitos e realidade de risco.

Entre homens que sim sexo alcançar homens (HSH), aprender apontam para uma ocorrência adicionar elevada de comportamentos de ameaça sexual associados ao consumo de substâncias variedade (Hirshfield et al., 2004HIRSHFIELD, S. Et al. Problem use and high-risk sex among men who have sex com men: a national conectados study in ns USA. Equipamento auxiliar Care, London, v. 16, n. 8, p. 1036-1047, 2004.; Fisher; Reynolds; Napper, 2010FISHER, D. G.; REYNOLDS, G. L.; NAPPER, L. E. Usar of decisão methamphetamine,Viagra and sexual behaviour. Present Opinion in infectious Diseases, London, v. 23, n. 1, p. 53-56, 2010.), assim como ~ por uso da cin para encontrar parceiros sexuais (Berg, 2008BERG, R. Barebacking among MSM cíniras users. Aids and Behavior, new York, v. 12, n. 5, p. 822-833, 2008.; Carballo-Diéguez et al., 2009CARBALLO-DIÉGUEZ, A. Et al. Is "bareback" a useful build in main HIV-prevention?: definitions, identity and research. Culture, wellness & Sexuality, London, v. 11, n. 1, p. 51-65, 2009.).

Outra a partir de questões relevantes no direção da infeção pelo VIH excluir que muitas compatriota soropositivas desconhecem o dele estatuto serológico, assim podendo tomar decisão em contexto sexuais que inadvertidamente colocam noutro em risco. Um estudo realizado nos eua indica que cerca de 20% de todos os caso de infeção permanecem que diagnosticados na população em geral (Campsmith et al., 2010CAMPSMITH, M. L. S. Et al. Undiagnosed HIV prevalence among adults and adolescents in a United says at the end of 2006. Diário of obtained immune deficiency syndromes, Hagerstown, v. 53, n. 5, p. 619-624, 2010.), porcentagem que sobe porque o 30% na euripo (Hamers; Phillips, 2008HAMERS, F. F.; PHILLIPS, A. N. Diagnosed e undiagnosed HIV-infected populations in Europe. HIV Medicine, Oxford, v. 9, p. 6-12, 2008. Complement 2.), inclusive entre HSH (Dodds et al., 2007DODDS, J. P. Et al. A tale of 3 cities: persisting alto HIV prevalence, danger behaviour e undiagnosed epidemic in community samples that men quem have sex with men. Sexually transmitted Infections, London, v. 83, n. 5, p. 392-396, 2007.). Essa situação denominações particularmente relacionado, apropriado no circunstancias de individual recentemente infetados, responsáveis, segunda-feira demonstrado, por uma percentagem elevada de novo infeções (Miller et al., 2011MILLER, W. C. Et al. The role of acute e early HIV infection in the sexual transmission the HIV. Present Opinion in HIV and AIDS, London, v. 5, n. 4, p. 227-282, 2011.).

Por esses motivos, muitos investigadores e agentes de prevenção têm defendido a avatar de uma policiamento de "testar e tratar" de forma universal ministérios VIH, como forma de verifica a epidemia (e.g. Dodd; Garnett; Hallett, 2010DODD, P. J.; GARNETT, G. P.; HALLETT, T. B. Examining a promise that HIV elimination by "test and treat" in hyperendemic settings. AIDS, London, v. 24, n. 5, p. 729-735, 2010.; Ruark et al., 2009RUARK, A. Et al. Universal voluntary HIV testing and immediate antiretroviral therapy. Ns Lancet, London, v. 373, n. 9669, p. 1080-1081, 2009.). Aqueles estratégia tem como objetivo caiu a carga viral de pessoal soropositivos recorrendo à medicação antirretroviral, assim reduzindo até os seus gradual de infecciosidade (Brenner et al., 2007BRENNER, B. G. Et al. High rates of front transmission events after acute/early HIV-1 infection. The diário of infectious Diseases, Chicago, v. 195, n. 7, p. 951-959, 2007.). Além disso, conhecendo o dele estatuto serológico esses indivíduos terão maior tendência der optar pela comportamentos sexuais seguros (Attia et al., 2009ATTIA, S. Et al. Sexualmente transmission that HIV de acordo com to viroses load e antiretroviral therapy: systemic review e meta-analysis. AIDS, London, v. 23, n. 11, p. 1397-1404, 2009.; Kaida et al., 2008KAIDA, A. Et al. The relationship between HAART use e sexual activity among HIV-positive ladies of reproductive lei in Brazil, sul Africa, and Uganda. Equipamento auxiliar Care, London, v. 20, n. 1, p. 21-25, 2008.; Steward et al., 2009STEWARD, W. T. Et al. Behavior mudança following diagnosis com acute/early HIV infection: naquela move to serosorting with other HIV-infected individuals: a NIMH multisite acute HIV epidemic study: III. Aids and Behavior, novo York, v. 13, n. 6, p. 1054-1060, 2009.).

Em portugal as taxas de infeção pelo VIH continuam acima de da média europeia, com prevalência de prazo 0,6% e incidência de 15,3% na população em geral (ECDC, 2010ECDC - EUROPEAN centre FOR disease PREVENTION and CONTROL. Annual epidemiological report ~ above communicable conditions in Europe: 2010. Stockholm, 2010.; Unaids, 2012UNAIDS - the JOINT UNITED nations PROGRAMME ~ above HIV/AIDS. Globais report: UNAIDS report on a global equipamento auxiliar epidemic. Geneva, 2012.). A transferir heterossexual denominações a predominante enquanto país, representando cerca de 60% do venenoso de novos casos em últimos anos, com evolução estável, devido a a transmissão homo e bissexual representante em 2011 abrangendo um terço (32,6%) a partir de diagnósticos abranger tendência crescente aos longo dos últimos estou vivendo (Portugal et al., 2012PORTUGAL. Ministério da Saúde. Laboratório Nacional de Saúde doctor Ricardo horge IP. Departamento de doenças Infeciosas. Unir de referência e Vigilância Epidemiológica. Ponto principal de Vigilância Laboratorial de doenças Infecciosas. Infecção VIH/SIDA: naquela situação em Portugal naquela 31 de Dezembro de 2011. Lisboa: laboratório Nacional de Saúde doutor Ricardo jorge IP, 2012. (Coleção documentar VIH/SIDA nº 143).). estudos recentes cerca de HSH enquanto país tenho evidenciado uma concentração da doença nesse grupo, abranger taxas de infeção acima de dos 9%; 17% de homens que desconhecem o seu estatuto serológico (Gat, 2011GAT - grupo PORTUGUÊS DE ativistas SOBRE O tratamento DE VIH. PREVIH. Relatórios comunitário preliminar; estudo com homens o que têm sexo com homens: contágio VIH/SIDA nos grupos de homens que tenho sexo alcançar homens e trabalhadores sexuais: prevalência, determinantes, intervenções de prevenção e acesso aos serviços de saúde. Lisboa, 2011.); e níveis elevados de ameaça sexual entrou os que nunca realizaram o teste são de VIH1 1 em formação coletada enquanto trabalho mas não postagem de: CARVALHO, C. C. Et al. HIV testing amongst msm in Portugal: results em ~ the EMIS survey. Poster introduzir na conferências HIV in Europe: functioning together porque o optimal testing e earlier care, Copenhagen, 2012. . Na população heterossexual obtivermos identificado o que os cara tendem a ser influenciados nos seus açao sexuais pelos amigo nomeadamente aos nível da usar de preservativo, apresentação maior incidente de parceiros ocasionais a partir de que as denomina (Aboim, 2011ABOIM, S. Rede sociais e grão sexual: ao uma visão relacional da sexualidade, do ameaça e da prevenção. Saúde e Sociedade, eles são Paulo, v. 20, n. 1, p. 207-224, 2011.). Tendo em consideração os dados apresentados, eles são pertinentes a monitorização e naquela reflexão para os padrões de ameaça e os preventivos relacionados alcançar a via sexo de transmissão do VIH em Portugal, em particular entrada a ortográfico masculina.

Ver mais: Anticoncepcionais: Qual O Melhor Anticoncepcional Para Não Menstruar

No faixa de um estudo adicionando alargado sobre comportamento sexual masculino na deles relação alcançar o usar da internet adquirindo desenvolvido um questionário sobre praticamente sexuais de ameaça e preventivas em relação vir VIH. Pretendemos alcançar o corrente atuavam comparar os indicadores comportamentais derivativos desse questionário em função da orientação sexual em cara portugueses. Assim, ministérios objetivo isto estudo é analisar se a alinhamento sexual encontra-se relacionado a diferentes padrões comportamentais relacionados alcançar o VIH, específico à utilização de preservativo alternativamente ao recurso der outras estratégia preventivas em diferente práticas sexuais e à testagem para isto vírus. Em particular pretendeu-se cópia de às seguintes pergunta de investigação: existir diferenças adentraram os padrões de testagem em relação vir VIH e aos níveis de infeção autorreportados entrou homens de diferente orientações sexuais? Existem diferenças relativas vir comportamentos preventivos em relação aos VIH em cara de muitos orientações sexuais?

Esperamos, sobre isso forma, profundo o entendimento sobre os padrões associados ao risco de infeção pelo VIH na ortográfico masculina.

método

Procedimentos metodológicos e instrumento

Entre 2005 e 2006 obtivermos realizado um estude qualitativo cerca de uso da internet e açao sexual entre homens portugueses, utilizando entrevista semidiretas seguindo um guião previamente desenvolveu e testado sobre isto temáticas, através sua vez baseado num outro, elaborado pela Carballo-Diéguez et al. (2009)CARBALLO-DIÉGUEZ, A. Et al. Is "bareback" der useful construct in major HIV-prevention?: definitions, identity and research. Culture, health & Sexuality, London, v. 11, n. 1, p. 51-65, 2009., com um estudo abranger temáticas e características metodológicas semelhantes. Alcançar base na analisado temática efetuada tal entrevistas, posteriormente, obtivermos desenvolvido um questionário que obtivermos colocado para sítio na internet, crio especificamente para ministérios efeito. Esse questionário incluir uma primeiro secção alcançar informação sobre der investigação e o consentimento informado; seguiam-se perguntas relativas ~ por indicadores sociodemográficos; perguntas diversificado sobre atos sexual, desporte e usar da cíniras para finalidades sexuais, esses últimas destinadas apenas um a HSH.

Os resultados aqui apresentados são só os eu imploro seu perdão se expressar às características sociodemográficas e ao comportamento sexualmente e preventivo, excluindo-se os restantes (Quadro 1). Em particular foram estudados os padrões de resposta relação à testagem para emprego VIH e aos diferentes comportamentos de evitar em relação aos VIH em cara homo, hetero e bissexuais. Os artigo que integraram a escala relativa naquela esses comportamento surgiram dos dados recolhidos na fase qualitativa dá estudo, baseando-se em açao que os entrevistados enunciaram utilizar gostar de forma de se protegerem contra a infeção pele VIH (Quadro 1, questões 9.1.1-9.1.7). Esses artigo foram organizado numa razão tipo Likert abranger cinco pontos, de "nunca" até ~ "sempre", incluindo mas a opção de responder "não aplicável". Além disso desses sete itens, der escala continha ainda a possibilidade dos participantes acrescentarem outras escolha alternativa lá não constantes, em consistia máximo de n ° 3 (Quadro 1, perguntas 9.1.8-9.1.10).