ANA PAULA MARCONI IAMARINO - Universidade saint Amaro e hospital Geral dá Grajaú, cirurgia Geral, eles são Paulo, SP, Brasil. YARA JULIANO - Universidade saint Amaro e hospitais Geral a partir de Grajaú, cirurgia Geral, elas Paulo, SP, Brasil. óleo de rosa MAURO cor de rosa - Universidade santo Amaro e hospital Geral a partir de Grajaú, cirurgia Geral, eles são Paulo, SP, Brasil. NEIL ferreira NOVO - Universidade saint Amaro e hospitais Geral do Grajaú, operação Geral, são Paulo, SP, Brasil. MURILLO DE classifique o cálculo do som FAVARO - Universidade santo Amaro e hospital Geral dá Grajaú, operação Geral, são Paulo, SP, Brasil. MARCELO agosto FONTENELLE RIBEIRO JÚNIOR
TCBC-SP
- Universidade santo Amaro e hospitais Geral dá Grajaú, cirurgia Geral, são Paulo, SP, Brasil.Sobre os autores
ABSTRACT

Objective

: come identify the main risk factors associated with a development of complications in patients com acute appendicitis.

Methods:

we conducted a case-control study of 402 patients with acute appendicitis hospitalized in der secondary hospital, split into two groups: the direção group, with 373 patients who progressed there is no postoperative symptom (Group 1) and the aprender group, com 29 patients quem presented complications (Group 2). We evaluated demographic data, signs and symptoms of the disease, imaging tests and hospitalization data.

Results:

determinants associated com complications to be fever, radiological and sonographic changes, abrupt optimistic decompression and diarrhea. Migrate of pain, nausea, vomiting and abrupt hopeful decompression were ns findings that were significantly much more frequent in both groups (p = 0.05). A duration the signs and symptoms in mim in group 2 foi ~ significantly greater than in group 1, with a median of three dia for the grupo with complications (p = 0.05).

Conclusion:

alterations in imaging, fever, diarrhea, optimistic abrupt decompression, term of symptoms and lower lei are associated with a higher frequency of symptom in acute appendicitis, i beg your pardon reinforces a importance of anamnesis, physical examination e indication of complementary exams in ns approach of these patients.

Keywords:Appendicitis; Appendectomy; Intraoperative Complications; Diagnosis.

Você está assistindo: Qual o perigo que uma pessoa hemofílica corre porque o que pode ser feito para evitar esse problema


RESUMO

Objetivo:

identificar os principais fatores de risco associados ao desenvolvimento de complicações em pacientes portadores de apendicite aguda.

Métodos:

estudo circunstâncias controle de dados dos prontuários de 402 paciente internados alcançar apendicite aguda em um hospitais de grau secundário, separado em dois grupos: agrupado controle, alcançar 373 paciente que desenvolve sem complicações pós-operatórias (Grupo 1) e agrupadas estudo, abranger 29 paciente que apresentaram complicações (Grupo 2). Foram avaliados dados demográficos, sinais e sintomas da doença, exames de fotografias e dados da internação.

Resultados:

os fatores relacionado às complicações foram febre, alterações radiológicas e ultrassonográficas, descompressão brusca positiva e diarreia. Migração da dor, náuseas, vômitos e descompressão brusca positiva passou a ser os achados significativamente adicionar frequentes nós dois grupos (p=0,05). Já naquela duração no sinais e sintomas, em dias, no grupo 2 obtivermos significativamente maior que no agrupadas 1, alcançar mediana de três dia para emprego grupo abranger complicações (p=0,05).

Conclusão:

alterações nós exames de imagem, febre, diarreia, descompressão brusca positiva, tempo de continuando de sintomas e menor área etária ~ ~ associados à maior frequência de complicações na apendicite aguda, o que reforça naquela importância da anamnese, são de exame físico e da recomendação de exames complementar na abordado desses pacientes.

Descritores:Apendicite; Apendicectomia; Complicações Intraoperatórias; Diagnóstico.


INTRODUÇÃO

O abdome agudo inflamatório consiste em as chave afecções vistas através dos cirurgiões que trabalham nós serviços de urgência enquanto mundo. É um quadro clínicos que varia desde diagnósticos simples, autolimitados e benignos, até aqueles que ameaçam à determinação e que exigir de uma intervenção cirúrgico rápida. Prazo 6,5% no atendimentos em serviços de Emergência elas por qualificado abdominal11. Edelmuth RCL, Ribeiro júnior MAF. Afecções abdominais inflamatórias. Emerg Clin. 2011;6(29):43-9..

A apendicite aguda (AA) representa a afecção cirúrgica adicionar comum enquanto abdome. é um presente incidência de 48,1 pela dez pano habitantes, através dos ano, e seu pico de projeção ocorre em pacientes adentraram os dez e 20 estou vivendo de idade. O ameaça geral vir longo da vida excluir estimado entrada 5% e 20%, sendo de 8,6% para homens e 6,7% para mulheres22. Silva SM, Almeida SB, classifique o cálculo do som OAT, guimarães GMN, Silva ACC, Soares AF. Grupo de ameaça para as complicações após apendicectomias em adultos. Rev Bras Coloproct. 2007;27(1):31-6.,33. Tan WJ, Acharyya S, Goh YC, Chan WH, Wong WK, Ooi LL, et al. Prospective to compare of ns Alvarado Score e CT Scan in the evaluation of the suspected appendicitis: a proposed algorithm to overview CT use. J to be Coll Surg. 2015;220(2):218-24.. Afeta aproximadamente 250 mil pacientes pela ano nos estados unidos da america e é responsável por pelo menos 40 milhares admissões hospitalares, através ano, na Inglaterra11. Edelmuth RCL, Ribeiro júnior MAF. Afecções abdominais inflamatórias. Emerg Clin. 2011;6(29):43-9.. Os sinais e sintomas costumam ser de anorexia, cólica periumbilical, náuseas e vômitos, seguidos de febre moderada (38°C) e sinal de glorificação peritoneal no decorrer quadrante inferior direito são de abdome44. Matos B, Santana C, Souza D, Rodrigues E, Gonçalves E, dias F, et al. Apendicite aguda. Rev Med minha Gerais. 2011;21(2 Supl 4):S1-S113.,55. Freitas RG, Pitombo MB, Maya MCA, fiel PRF. Apendicite aguda. Rev Hosp Univ peter Ernesto. 2009;8(1):38-51.. Muitos destes achados, enquanto entanto, podem ocorre em de outros afecções clínicas alternativa cirúrgicas, tais gostar linfadenite mesentérica, hemorragia intraperitoneal, salpingite aguda, endometriose, diverticulite de Meckel, adentraram outras55. Freitas RG, Pitombo MB, Maya MCA, leal PRF. Apendicite aguda. Rev Hosp Univ pedro Ernesto. 2009;8(1):38-51.. Emprego diagnóstico denominações feito com base na reconhecimento clínica e confirmada através meio de pontuação de leucócitos, ultrassonografia (US) e estudando radiográficos dá abdome22. Silva SM, Almeida SB, lima OAT, guimarães GMN, Silva ACC, Soares AF. Fatores de risco para together complicações depois de apendicectomias em adultos. Rev Bras Coloproct. 2007;27(1):31-6.,66. Petroianu A, Alberti LR, Zac RI. Significado do sintoma radiográfico de acúmulo fecal durante ceco para o diagnóstico diferencial de apendicite aguda. Acta Med Port. 2007;20 (2):151-6.. O diagnosticar incorreto é acrescido frequente em crianças, em desativar e em idosos66. Petroianu A, Alberti LR, Zac RI. Importância do assina radiográfico de acúmulo fecal no ceco para o diagnosticar diferencial de apendicite aguda. Acta Med Port. 2007;20 (2):151-6.. A acurácia de uma bem anamnese, aliado a um teste físico está bem realizado, é de 95% em paciente que apresentem quadro clínico clássico77. Reis JM, Oliveira DCN, Luccatto TM, Reis júnior WB. Diagnóstico e tratamento de 300 casos de apendicite aguda em crianças e adolescentes atendidos em um hospitais universitário. Rev Med minha Gerais. 2008;18 (1):11-5.. As complicações decorrentes da progresso do processo inflamatório agudo como supuração, perfuração com ou sem hemorragia e gangrena do anexação são graves, aprovar a cirurgia precoce fundamental, a acabando de compreender a desenvolvimento do quadro55. Freitas RG, Pitombo MB, Maya MCA, leal PRF. Apendicite aguda. Rev Hosp Univ peter Ernesto. 2009;8(1):38-51..

O tratamento da apendicite aguda denominações a apendicectomia, convencional ou laparoscópica. Contudo, der antibioticoterapia isolada, com drogas contra bactérias Gram negativas e anaeróbicas, tem duro utilizada, uma rotação que isto mostra potencial para caía consideravelmente os custos conectado com à cirurgia88. Gomes N, Bridi TL, Ribeiro MAF Jr. Existir lugar para ministérios tratamento clínicos de apendicite aguda? Emerg Clin. 2010;5(25):118-21.,99. Smink D, Soybel DI. Monitoring of acute appendicitis in adults . Waltham (MA): UpToDate Inc; c2017 . Available from:https://www.uptodate.com/contents/management-of-acute-appendicitis-in-adultshttps://www.uptodate.com/contents/manage... . Estude sugerem que der terapia que cirúrgica é segura, desde que o paciente tenha um seguimento correto e possa ser submetido aos tratamento operatório, se necessário88. Gome N, Bridi TL, Ribeiro MAF Jr. Existir lugar para ministérios tratamento objetivo de apendicite aguda? Emerg Clin. 2010;5(25):118-21..

Mas, apesar do desenvolvimento tecnológico no diagnosticar e na terapêutica, naquela apendicite aguda continua sendo importante causa de morbidade e mortalidade, principalmente nos extremo etários, nós quais os sinais e sintoma podem algum ter a apresentações clínica clássica. Esse estudo tem como objetivo juiz os principais grupo de ameaça associados ~ por desenvolvimento de complicações em pacientes alcançar apendicite aguda.

MÉTODOS

Estudo caso-controle, através meio de analisado de dados dos prontuários de paciente internados com diagnóstico de apendicite aguda, durante ano de 2013, no decorrer Hospital Geral do Grajaú (HGG - laboratório de missão Social síria Libanês) e na Universidade santo Amaro. Os dados foram obtidos no decorrer Sistema de Gerenciamento de Internação, e incluiu tudo de os pacientes alcançar diagnóstico de apendicite aguda nesse período, independência ao vivo da área etária.

Pacientes alcançar suspeita de apendicite aguda eles eram submetidos à avaliação clínica e laboratorial segue protocolo instituições de qualificado abdominal. Na presença de achados clínicos o que sugeriam apendicite, prosseguiu-se alcançar exames de foto (radiografias do abdome, ultrassonografia e/ou tomografia computadorizada). Alcançar o diagnosticar firmado, a operação era realizada pela meio de incisão na fossa ilíaca direita.

Foram avaliados dados demográficos, sinal e sintoma da doença, exames de fotografias e dados da internação, então como as adido complicações pós-operatórias: abscesso intra-abdominal, sepse e infecções de ferida.

Na analisadas estatística foram utilizados ministérios teste G de Cochran, teste do Qui-quadrado, teste exatamente de Fisher, prova Mann-Whitney, teste Kendall de concordância1010. Siegel S, Castellan pequena NJ. Estatística não paramétrica para ciência do comportamento. 2ª ed. Artmed: porto Alegre; 2006..

O demonstrado trabalho aquisição submetido e aprovada pelo comitê de Ética em enquete da universidade de santo Amaro, abaixo o luz de número: 624735.

achados

Foram estudados 402 pacientes, divididos em dois grupos: agrupados controle (Grupo 1) de paciente que que apresentaram complicações pós-operatórias (n=373) e agrupadas de pesquisar (Grupo 2) composto pela pacientes que apresentaram complicações (n=29). A partir de 373 pacientes do agrupado 1, 220 (59%) eram do sexo macho e 153 (41%) do sexo feminino. Naquela população pediátrica (até 12 anos de idade) correspondeu naquela 31%, alternativamente seja, 116 pacientes. No agrupados 2, 15 (52%) eram do sexo macho e 14 (48%) são de sexo feminino. Naquela população pediátrica foi de 19 paciente (65%).

No agrupadas 2 together complicações pós-operatórias observadas foram: abscesso intra-abdominal em 19 casos (65%), infecções de ferida em sete (24%) e sepse em six (21%), sendo que três paciente apresentaram duas complicações simultâneas. Em 62% no pacientes do agrupado 2 adquirindo realizada drenagem da cavidade peritoneal.

A tomografia (TC) não adquirindo realizada em 21 paciente (72%) do agrupadas 1 e em 256 paciente (68%) do agrupadas 2, através dos terem o diagnóstico confirmado através outros métodos.

A média de idade do agrupado 1 aquisição de 21,9 estou vivendo (1 a 65 anos) e emprego tempo media de internação de 3,05 dias. No agrupados 2, naquela média de idade foi 16,9 anos (2 der 45 anos) e ministérios tempo médio de internação de 13,1 dias.

Quanto às fases evolutivas da apendicite, segundo der descrição cirúrgica, o agrupado 1 ele tinha 55 (15%) paciente em estágio edematosa, 140 (38%) em estágio flegmonosa, 99 (26%) em estágio gangrenosa, 75 (20%) em fase perfurada e 4 (1%) pacientes com apêndices normais (apendicectomia tática). Já o agrupado 2 teve três (10%) paciente em passo edematosa, cinco (17%) em passo flegmonosa, oito (28%) em fase gangrenosa e 13 (45%) em fase perfurada.

Ver mais: Real Madrid X Tottenham Ao Vivo, Assistir Ajax X Tottenham Ao Vivo Online Gratis

A partir do teste G (de Cochran), compararam-se as frequências dos fatores para os dois grupos e observou-se que os seguintes fatores associados à apendicite, êxodo da dor, náusea e vômito e descompressão brusca dolorosa (DB+), foram muitos (p=0,05) mais frequentes nos dois grupos (Tabela 1).